quarta-feira , 13 dezembro 2017
Início > Blog > Changeling: Os Perdidos – Aprofundando-se [Parte 2]

Changeling: Os Perdidos – Aprofundando-se [Parte 2]

Bem amigos, no artigo anterior, fiz uma breve introdução a respeito do sistema Changeling: Os Perdidos. Você pode acessá-lo aqui.  E, como bitch da White Wolf, darei continuidade!

Como dito anteriormente, é praticamente impossível para a mente humana racionalizar a personalidade de um Fée Verdadeiro. Eventualmente, o rapto pode ser motivado pela capacidade em desempenhar trabalhos manuais, agradáveis aos olhos de um Gentil. Ainda, contam-se histórias de changelings que serviram de escravos sexuais, pois todo o encanto e romantismo empregado para convencê-los a partir rumo à Arcádia simplesmente desapareceram no instante posterior. Também existem relatos de changelings que desconhecem o real motivo de seu rapto, tendo sido condenados a desempenhar tarefas mundanas, como esfregar o chão, ou totalmente despropositadas, como contar todos os grãos de areia de um determinado espaço.

Em Feéria, nada existe ou sobrevive sem a vontade do Gentil. Tudo isso graças aos antiquíssimos Contratos e Juramentos até então firmados pelo Fée Verdadeiro, com todas as coisas e seres presentes naquele universo alienígena.

“Não haveria água suficiente para matar sua sede, e eles não se sentiriam aquecidos nem mesmo se ficassem no meio de uma fogueira (apesar de certamente saírem queimados). As leis da física e da ciência não tem poder em Feéria. Toda a realidade se baseia nesses Contratos e Juramentos excessivamente poderosos e, sem um mentor Fée para incluí-lo no pacto, o destino desse ser humano em Arcádia estará selado.”

Obs.: Contratos e Juramentos são elementos importantes do sistema Changeling. Mas falaremos disso em outra oportunidade.

changeling2

Em dado momento, o changeling consegue fugir de seu cativeiro. Existem histórias daqueles que saíram lutando, dos que venceram enigmas, ou ainda, dos que simplesmente foram liberados por seus mestres, sem razão aparente. O fato é: após cruzar os espinheiros da Sebe, você está livre, de volta ao mundo mortal. E aqui, mais uma vez, a coisa fica interessante.

Em Arcádia, o tempo é indefinido e desconexo ao nosso mundo. Dependendo do seu Gentil, talvez você nem ao menos tenha experimentado a noção de “tempo” durante o seu período de cárcere. Ou seja: quando você retorna ao nosso mundo, podem ter passados anos desde o seu rapto ou apenas alguns segundos. Mais do que isso, alguns Fées Verdadeiros empregam o artifício de colocar um substituto no seu lugar. Como explicar à sua família que você não é você mesmo? Ou que, depois de anos desaparecido, você retorna com sua aparência de adolescente?

Não fosse isso suficiente, é importante lembrar que você não é mais um humano. Seus sentidos, sua percepção da realidade, seu discernimento moral e ético, todos estão totalmente deturpados pelo período em que viveu em Arcádia, vislumbrando coisas e dizeres outrora inimagináveis aos seus olhos ou mente. Ah… e pior do que isso, você não se recorda de tudo que vivenciou em Feéria. Há somente alguns pequenos vestígios, algumas poucas memórias, mas de alguma forma, você sabe que sua mentalidade, seu jeito de ser, já não são mais os mesmos.

Além disso, agora você também é capaz de utilizar a magia feérica, seu Fado. Quanto mais tempo um changeling conseguir sobreviver, maiores serão as possibilidades dele elevar o seu nível de Fado, e consequentemente, ter magias mais poderosas. Por outro lado, um nível de Fado elevado, significa aproximar-se das bizarrices de Arcádia.

Quanto maior o Fado do changeling, mais voláteis e intensas serão suas emoções. Em última análise, suas paixões podem se tornar tão fortes que até mesmo amigos e aliados ficarão desconcertados com a veemência dos sentimentos do personagem.”

changeling3

Para tudo. Leia a frase acima. Feche os olhos e pense nas possibilidades. Meu Deus! Só eu fico empolgado aqui? U_U      Ops… Desculpem, me empolguei.

Além do Fado, os changelings também são expostos ao Glamour. O Glamour nada mais é do que:

“a essência purificada do sentimento humano. Roubado nos braços de um amante ardoso, separado na fúria do campo de batalha, coletado no rastro de um susto daqueles ou colhido das flores sobre um túmulo, o Glamour é a emoção primitiva que torna possíveis os terríveis prodígios de Arcádia.”

Será através dele que o poder da sua magia feérica será exercido. É justamente por isso que existe uma relação tão íntima entre o Fado, sentimentos e emoções.

Enfim… Haverá, de fato, como inserir-se novamente entre os humanos? Um jogo de beleza e loucura, eles falaram… E eu não consigo deixar de imaginar e concordar!

changeling1

praet0r~
Gameplayer em Rolando Dados

Assalariado do setor privado; vítima da realidade, mas sonhador em essência; RPGista desde 2002; gamer; adora um lolzinho =^^=


praet0r~ on Facebook