quarta-feira , 24 maio 2017
Início > Blog > O que te faz querer ser o Mestre do Jogo?

O que te faz querer ser o Mestre do Jogo?

Qualquer um pode ser mestrar uma mesa de RPG, mas escolher tornar-se o Mestre de Jogo é pura vocação–

Um começo contundente para depois me apresentar.

Saudações joviais meu estimado leitor, quem escreve é Ulisses, colaborador recente do Blog Rolando Dados. No futuro estarei postando mais dicas para mestres e jogadores, bem como material para jogo e algumas ilustrações amadoras. Minha coluna se propõe a partilhar as minhas histórias, reflexões e vivência de jogo para os RPGistas toda semana.

Primeiro vamos nos concentrar em qual é a função do Mestre de Jogo. Atualmente trabalho em uma livraria que vende livros de RPG, minha explanação mais enxuta explicando o jogo é a seguinte:

“RPG significa Jogo de Interpretação de Personagens, é um jogo de caráter teatral onde cada jogador vai assumir o papel de um personagem que será o protagonista da história, como o personagem principal de um filme ou de um livro.

Os jogadores precisam tomar as decisões a respeito das ações, moral e escolhas que seus personagens vão fazer na história.

Um desses jogadores será o Mestre de Jogo. Enquanto os jogadores precisam se focar apenas em um personagem, o Mestre define como será a trama e tem sob seu controle todos os inimigos, aliados monstros e obstáculos.

Imagine em um filme: os Jogadores serão os atores, enquanto o Mestre é toda aquela equipe por trás das câmeras que faz o filme funcionar. Deu pra entender?”

Mas e aí — querer se tornar o Mestre é apenas procurar sarna pra se coçar?

Digo que não, meu caro leitor.

No meu tempo de RPGista já joguei partidas o suficiente para entender que as pessoas se divertem das maneiras mais diversas com RPG. Já conheci jogador que só conseguia se divertir se estivesse concentrado em alguma outra coisa durante a sessão, jogador cuja fixação era preparar e manipular as miniaturas e cenários de combate, jogador que só se satisfazia quando a matemática de sua ficha estava perfeita, jogador que só ficava para agradar alguém, jogador que só participava para poder se sentir em grupo, etc.

Segue-se então um momento para despejar a maior máxima do RPG: NÃO EXISTE JEITO CERTO OU ERRADO DE JOGAR, O IMPORTANTE É SE DIVERTIR.

Então meu caro Mestre, pense em si da seguinte maneira: você é um jogador que se diverte tendo mais trabalho. Sendo você do tipo de mestre psicopata que faz organograma e fichas das folhas das árvores ao repentista improvisador e enrolador, a sua vibe está em estar na cabine de comando daquele mundo onde você e seus jogadores se dispuseram a contar uma história.

Não sei de você mas posso falar por mim, uma outra máxima do RPG é que: QUEM COMPRA O PRIMEIRO LIVRO É O MESTRE — e confesso que comigo foi assim. Percebi que gostava mais de narrar quando eu estava como jogador. Meus personagens tinham mania de arrumar companheiros, bichos de estimação, ter negócios e todo tipo de característica com a qual o meu mestre em questão tinha que abdicar um pouco do controle narrativo pra mim. Por fim eu entendi como isso pode ser frustrante para outros narradores e tento me controlar mais hoje em dia.

Haja paciência para pesquisar especificidades de um cenário, de criar a trama a partir da nota de rodapé de um livro, pra criar as referências de um personagem que vai aparecer em uma cena. Você é um jogador como qualquer um dos outros a única diferença é que você se diverte antes, durante e depois da partida. Tem um trabalho a mais entre uma semana e outra? Sim, mas isso a gente vai administrando.

Meu estimado leitor, deixo essa reflexão pra semana. O que faz você querer ser o Mestre do Jogo?

Tenha uma boa vida.

Ulisses
  • Eu gosto de ser o mestre porque gosto de mandar… XD

  • Lobo Lancaster

    “O que faz você querer ser o Mestre do Jogo?”
    Não ter narradores >.<
    Se eu não pego a liderança do jogo aqui, ficamos 3/4 meses sem jogar, comigo a cada 15 dias tem jogatina e a galera se reúne.
    Quando tive que dar um tempo de narrar depois de acabar um arco de mais de um ano um dos meus jogadores pegou o bastão pra narrar, ele em novembro começou a preparar o jogo, no começo de Dezembro jogamos e a cada semana ele adiava o jogo até que tive que narrar esse final de semana.
    Prefiro mil vezes jogar, mas narrar é preciso!!!
    Bom, a galera pelo menos diz adorar meus jogos 😀